Grupo que explodiu 2 bancos e fez pacientes reféns em Ipirá não conseguiu arrombar cofres e fugiu sem dinheiro

Os criminosos que explodiram duas agências bancárias da cidade de Ipirá, a cerca de 200 quilômetros de Salvador, fugiram sem levar nenhum dinheiro porque não conseguiram arrombar os cofres, segundo informou, nesta sexta-feira (4), a Polícia Civil do município, que investiga o crime. Os suspeitos, ainda não identificados, estão sendo procurados.

A polícia informou, ainda, que dois carros com placas de Salvador que foram utilizados na ação pelos criminosos foram encontrados abandonados perto do município de Itaberaba, na região da Chapada Diamantina.

Os ataques contra as agências de Ipirá ocorreram na madrugada desta sexta-feira. Segundo a polícia, cerca de 25 homens participaram do crime. Durante a ação, foram disparados vários tiros, que assustaram os moradores da cidade.

Segundo a polícia, os bandidos se dividiram em quatro grupos para praticar os ataques. Um deles foi para uma casa de passagem, onde pacientes que se preparavam para viajar em um ônibus para realizar tratamentos foram feitos reféns. Eles foram liberados posteriormente, em um local próximo à cidade. Ninguém ficou ferido.

Segundo a Polícia Militar, os criminosos ainda bloquearam uma via próxima às agências com o ônibus, liberando apenas as mulheres. Os homens foram levados como reféns, mas posteriormente liberados nas proximidades do povoado de Pau Ferro, em Ipirá. A polícia não soube informar quantas pessoas foram feitas reféns.

Outro grupo foi para a sede da PM, onde uma viatura foi incendiada para impedir a saída dos policiais. O terceiro grupo também foi até a Delegacia Territorial da cidade para dificultar que policiais saíssem.

Um outro grupo foi até as agências bancárias, que ficam localizadas a poucos metros uma da outra, na Praça Roberto Cintra. Eles efetuaram cerca de oito explosões, segundo a polícia. As duas agências ficaram destruídas. Não há informações sobre se os criminosos conseguiram levar alguma quantia.

A PM informou que reforçou a segurança na região com equipes da Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe) Semiárido e Chapada, da Companhia Independente de Policiamento Tático (CIPT) Rondesp Chapada, do Grupamento Aéreo (Graer) e da 98ª CIPM.

SHARE